Lorotas na net: Margem esquerda do Solimões…

Vocês sabem que não simpatizo com MST, OK; mas está circulando uma lorota, um “Hoax”(mensagem sem conteúdo verdadeiro) com fotos de pessoas ‘catando’ ovos de tartaruga “para vender”. O Hoax diz que é o MST ‘produzindo’.

Não caiam nessa. Basta olhar bem…é praia de oceano! Fica na Costa Rica e as pessoas estão salvando a espécie.

Quem já foi a Oriximiná, por exemplo, sabe que a espécie da amazônia é outra.

Todas as vezes que chegar uma mensagem dessas, prometo verificar, como fiz com aquela bobagem do Tommy Halfinger.

Veja no site do Tamar : www.tamar.org.br/noticias1.php?cod=49

As fotos originais estão no site de um jornal da Costa Rica.

As pessoas fotografadas  estão transportando os ovos para que as tartaruguinhas possam nascer – e sobreviver – em cativeiro, para depois serem levadas ao mar com maiores chances!

Pior, o deputado Raul Jungman, cuja assessoria não pesquisou o assunto, acabou embarcando nessa canoa furada e no dia 17 de março do ano passado (vejam como essa onda é velha!) “condenou”veementemente a ação ‘ilegal’, que mico!

Depois, se retatou.

Veja o pedido de desculpas do pernambucano em http://www.rauljungmann.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2320:portal-de-raul-jungmann-desculpa-se-por-divulgar-informacoes-equivocadas&catid=65:noticias-variadas&Itemid=146

(Fosse a Dona Vera sua assessora, Excelência, o senhor não pagava esse King Kong!)

Bem, para quem quiser saber mais, eis o que diz o site www.quatrocantos.com

    Na Costa Rica, país da América Central, existe uma praia de nome Ostional. É uma praia pequena, com cerca de um quilômetro de extensão, areias escuras, situada na península de Osa na costa do Pacífico. É para lá que se dirigem, todos os anos, quatro espécies de tartarugas: a Eritmochelys imbricata, a Chelonia agassizzi, a Dermochelys coriacea e a Lepidochelys olivacea.

    A finalidade da visita a essa praia é a desova. Algumas delas chegam em pequena quantidade, mas a natureza faz com que as da espécie Lepidochelys olivacea compareçam em bandos numerosos. Segundo Anidación de la tortuga lora…, as tartarugas dessa espécie podem chegar a mais de duzentos mil fêmeas num período de arribada.
    Vão chegando e desovando sobre os ovos de outras tartaugas e isso, caso não se fizesse a catação, prejudicaria e muito a sobrevivência da espécie.

    Como o trecho de praia é pequeno e as tartarugas, por razões desconhecidas, dão preferência àquele lugar, o que ocorre é uma grande concentração de ninhos: muitos ovos em pequena faixa de areia. Cada tartaruga pode botar até cem ovos. Milhares de tartarugas, milhares de ninhos, alguns milhões de ovos.

    Além do predador homem, que comprometia a vida dos quelonídeos, havia outro problema mais sério: cada vez que o mar trazia uma nova leva de tartarugas, elas remexiam os ninhos deixados pelas que haviam se antecipado na desova.

Nesse mexe e remexe, las tortugas recém-chegadas quebravam ovos, desmanchavam os ninhos anteriores deixando tudo numa verdadeira mixórdia. Em pouco tempo, os ovos quebrados apodreciam e contaminavam os ninhos próximos e a presença de bactérias comprometia, ainda mais, o índice de eclosão e de sobrevivência dos queloninhos. A destruição atingia até oitenta por cento dos ovos de uma arribada.
//

Preocupado, o governo da Costa Rica criou, em 1983, o Refugio Nacional de Vida Silvestre de Ostional (RNVSO) e um rígido controle de coleta de ovos de tartarugas.

Funciona assim: durante as primeiras trinta e seis horas de uma arribada é permitida a coleta de ovos. A partir daí, fica proibida.

Na verdade, a coleta é dos ovos que se quebrariam e não iriam produzir filhotes, pois seriam destruídos pelas fêmeas da segunda leva. Além de se quebrarem, eles se transformariam em focos de contaminação.

Utilizando esse tipo de manejo, os ambientalistas verificaram aumento de até vinte por cento na taxa de eclosão e de nascimento de filhotes.

Conclusão: não se trata de atividade ilegal nem predatória, mas de coleta supervisionada e controlada que trouxe dois resultados visíveis:

    – aumento significativo do índice de sobrevivência dos filhotes;

    – melhoria nutricional e de renda dos moradores da comunidade sem comprometer o meio ambiente.

    (Fonte www.quatrocantos.com)

—————————————————————————————————————————————————- 

Coisas da net:Praia da Costa Rica onde as tartarugas vão desovar, quase vai parar no Solimões.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: