Como uma dona de casa…

Ando numa fase bem doméstica.

Com a cirurgia do meu marido, acabei à frente de coisas que já estavam praticamente nas mãos da minha secretária.

Já faz um tempo que a lavagem da roupa – na máquina, claro – é parte da minha rotina. As razões foram outras mas na verdade não reclamo disso. Gosto de ter contato com a água, de separar as peças cuidadosamente, de vê-las limpas e cheirosas, depois.

Não sei explicar. É um momento “meu comigo mesma”. Como minha casa é grande, vou para a lavanderia, e me divirto com a Bruna que logo se enrosca no tapete, me esperando. Bruna não me larga, está sempre nesse grude, a queridinha.  (Tem foto dela, basta rolar um pouco aí prá baixo)

Lavar as roupas cria um momento de intimidade; vejo o que precisa de reparo ou de uma lavagem mais dedicada para tirar alguma mancha. Comprei uma outra máquina que tem um troço só para “dissolver” manchas, vejam que dedicação!

Bom, o caso é que minha secretária saiu em férias e meu marido precisava de uma alimentação leve, sem gordura e menos sal. Mas saborosa.

Alguém conhecem quem forneça marmitas saudáveis, aqui em Belém,  a preço justo e que não nos deixe “na  mão” por conta de todo e qualquer problema com entregadores, ajudantes, diaristas menstruadas, fornecedores ou mapa astral? Nem eu. Meu transtorno obsessivo não me deixaria em paz sem saber se depois de amanhã teria comida ou um recado que  “quinta ” não tem. Então, mãos à obra e umbigo no fogão!

Então baixou a Dona Vera e minhas manhãs têm sido na cozinha. E tenho adorado!

Descobri como as saladas podem ser saborosas e diferentes a cada dia. Faço pratinhos novos e reinterpreto antigos.

Fiquei pensando como as mulheres reclamam do serviço doméstico, Jesus! Não me acho melhor, mas estou tirando de letra, com a ajuda da máquina de lavar louças e da Nete na faxina e no ferro de passar – que é o que detesto.

Hoje fiz Tomates Recheados, nosso almoço ficou lindo e delicioso. Sim, eu primeiro como com os olhos, comida tem que ser bonita, bem arrumada, servida com capricho – mesmo que seja só eu a comer!

Como procuro ser prática, usei aquele frango desfiado, congelado. (Esse aí embaixo, mas tem outras marcas. experimente, vale a pena!)

Vamos lá:

Para quatro tomates grandes (servem duas pessoas, com bons acompanhamentos)

Meio pacote de frango desfiado descongelado

1 colher de sopa de shoyu

Meio copo de requeijão (cuidado com o light, ele fica um tanto líquido)

Meia xícara de azeitonas sem caroço picadinhas

3 colheres de sopa de Pomarola

Duas colheres de coentro e cebolinha (picados)

1 colher de cafézinho (rasa) de orégano, de preferência fresco.

2 colheres de sopa que parmesão ralado faixa azul

Misture tudo com garfo e reserve.

Abra os tomates tirando a tampinha, retire as sementes, lave etc. Seque, e passe dentro (com o dedo, mesmo)

uma misturinha de azeite, sal, vinagre (gotas) e molho de alho. ( Tudo misturado dá uma colher de sobremesa, mais ou menos- é só para saborizar. )

Arrume num refratário untado com azeite, em tamanho que fiquem juntinhos, em pé.

Cubra com queijo ralado Faixa Azul e asse em forno a 180 graus, por uma hora, ou até ficar moreninho.

Uma delícia.

Servi com uma salada bem montada, arroz alegre (com vagem e cenoura) abóbora e mandioca cozidas.

Supimpa!

Delicioso! Tomate recheado com frango desfiado e requeijão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: