Que peninha me dá…

O Aeroporto Internacional de Belém está tão caidinho… Tão feiinho, tão…

Ah, não me venham falar em uso. O de Guarulhos recebe muito mais pessoas, é mais antigo e está sempre melhor…

Tarde (15:30h) de quarta-feira. O box da Fumbel (PMB) estava e continuou fechado. E o Dudu liga pra turista? Dudu não está nem aí... Aliás, Dudu não está nem AQUI!

Tem mofo e massa. A torneira curta espalha água pra todo lado. A moça limpa, mas parece rodoviária de interior.

Encardiiiiido. Constrangedor...(Feminino, térreo.)

Lascadinho, feinho, como quase tudo mais.

Mais do mesmo.

Lomas esquina de Rômulo Maiorana (antiga 25 de Setembro). Belém é mal tratada pela Prefeitura. Sob a cobertura de uma lanchonete decadente, a equipe da limpeza acampa, como se isso fosse muito normal...No detalhe do espelho...a imundície que se espalha pela cidade.

Não é um acampamento de sem-teto. É a pausa da sesta da equipe da PMB.

Tv. Rômulo Maiorana – antiga 25 de Setembro- esquina da Lomas. Abandono, sujeira e…o pessoal da limpeza pública dormindo a sesta, acampando nas instalações decadentes (como as demais, ao longo daquela rua) de uma lanchonete.

Já tinha visto as cenourinhas dormindo num quiosque da nova Via Parque (?), aquela balela na Marquês. A cada obra, fico mais certa de que o arquiteto-mor da PMB é o Nerso da Capitinga. Ou o Jeca, mesmo.

Coitados dos trabalhadores, ok, também sinto muito pelas condições. Mas isso confere à Belém aquele ar de cidade pequena e avacalhada – como tudo que essa administração faz. Fiscalização, nem pensar.

É isso aí, o povão engole uma inauguraçãozinha caipira, como aquelas famigeradas academias ao ar livre, e ele finge que está fazendo uma baita administração.

Cretinice. Fala sério, ninguém diz que jamais colocaria a mão naquilo (eu não coloco!) por puro respeito por quem não tem nada melhor. Fico mais penalizada ainda.

Enquanto isso, a população morre sem atendimento de qualidade, sem escola de qualidade…Sem respeito!

Viva o circo, viva a praça!

Mais do mesmo.

A antiga 25 de Setembro: além de abandonada ( olha a quina do retorno...parece "ao contrário"!) pelo "Dudevagar", joga-se todo tipo de lixo por lá...uma podridão só. A gente merece?

 
 
 
“Ferro de Engomar”: flanelões mandam na área… A imagem é de entristecer!
“Ferro de Engomar”: abandono.

Belém está jogada fora; é verdade. Mas o que entristece é ver que não se trata só dessa administração vagabunda, o morador de Belém está cada vez pior. Quem não promove, convive com o lixo e o desleixo sem reclamar, sem fazer NADA para melhorar os coisas. Estamos nos acostumando a viver num chiqueirão, que pena!

Parece que quase todo mundo tem “o rabo preso”, teme perder uma sinecura familiar…Daí, poucos falam alguma coisa e o Dudu na dêle, fazendo porcaria nenhuma.

Justiça seja feita, porcaria ele faz.

Que coisa…

E fica tudo essa avacalhação.

Na Praça ferro de Engomar, que já foi uma gracinha (lembram daquele bar, onde todo mundo ía?) os flanelões (ODEIO Flanelão!) lavam os panos e estendem … O lixo acumulado fica por lá…

Ficam em bando, amedrontam quem chega, com maus bofes. Tem hora que eu me dá uma vontade de jogar uma bomba, juro!

Tudo avacalhado…Como a outrora 25 de Setembro, hoje Rômulo Maiorana (maníaco por ordem e limpeza, que era; deve estar invocadíssimo com a esculhambação da homenagem! Na época em que era chique dar baforadas, não se fumava no andar onde era o escritório dele! Aliás, nem cinzeiro tinha…) onde a lama, o lixo e a podridão tomaram conta dos canteiros. Dane-se os carros que não têm onde estacionar…Isso a prefeitura não quer saber, tampouco  se seu carango não é elástico para fazer a curva naqueles retornos traçados por um idiota completo.

Sobre os dólares apreendidos no aeroporto de Belém.

Dólares apreendidos no aeroporto de Belém. (foto de “O Impacto”)

Olha que imagem de dar água na boca; com todo respeito à boca, aos dólares e à receita. Tenta imaginar o desespero do “dono”. Ih, ih, ih…

Burrice merece punição em dobro, bem feito, mané!
Sobre o bolão que corre na cidade, para descobrir quem “perdeu” a bolada: chamem o Grissom, do CSI e aquele pincelzinho mágico. É só descobrir as digitais…
Ou as imagens de quem despachou o malote, olhar as câmeras da redondeza…Mas tem que querer, né?
Ah, o “paralelo” local aumentou, claro. 
Solidariedade.
Grissom. Será que existe um desses por aqui?

A gente só sai no Jornal Nacional com notícia policial, credo!