>Mas que diabos é isso?

>

Tenho vergonha de certa coisas que vemos em Belém.

Não sei quem foi o responsável por essa criação horrenda que a prefeitura espalhou na cidade, à guiza de decoração natalina. Que droga!

Sinceramente, poucas coisas superam esse mau gosto. O que é exatamente essa tenda apache?

A barraca de verão do Tonto? Uma árvore de natal?

Não acredito!

Além de ser pobre no pior sentido da palavra, é de um desrespeito enorme. Veja onde colocaram essa geringonça no largo de São Brás. Lauro Sodré deve estar ‘se revirando’, com toda razão!
Fosse o pai do autor da decoração ou do prefeito…Será que permitiriam tamanho descalabro? Acho que não.

Belém precisa de respeito, não só da população, mas de quem administra a tal da ‘coisa pública’.

Tenho vergonha, muita vergonha cada vez que vejo que nossa cidade é tratada como uma provinciazinha de última!

Como diz um amigo, Nova Délhi é aqui.

Quer ver?

Passe na Paratur. Dê uma olhada naquela baiúca horrorosa, de aspecto sujo, brega até não poder mais…O que é aquilo?

No órgão que deveria cuidar da imagem que o turista leva do estado, em pouco mais de dois anos o que era cantina virou quitanda, uma barraca que faria feio no Ver-o-peso!

E todo mundo senta ali e come as gororobas servidas sem higiene. O esgoto? Vá dar uma olhada, Senhora Dona Governadora. Corre pela calçada e “voilá”: Jambu, rabo de camarão e restos do vatapazão seguem pela vala, alimentando nossos ratos parrudos!

O que é isso? É Belém, meus caros. É Pará!

Isola!

Na foto, a ‘instalação do natal”. Para que pudéssemos ver melhor (argh!) ainda suspenderam um pouco o que deve ser (?) um Présépio. Ou outra coisa qualquer!

Com perdão da palavra, isso não é decoração, é uma bosta!

>PIORES DE BELÉM

>Os piores de Belém
Recentemente a SPPA – Sociedade Protetora dos Palpiteiros Anônimos, houve por bem ouvir seu seleto grupo de sócios, os honorários inclusive, com a finalidade de elaborar a lista das “Dez Melhores Coisas de Belém”.
Como é de praxe, aconteceu uma enorme celeuma, briga feia mesmo, o que acabou resultando na saída de um de seus eméritos fundadores, conhecido por seus sólidos conhecimentos no setor de fofocas e intrigas.
Ao final da décima reunião extraordinária, (ordinárias são as dos outros!) e, diante dos votos, acatou-se escolher então, “OS DEZ PIORES”.
Já se sabe que a lista irá aumentar, a cidade é uma gracinha mas opinião é como bunda, todo mundo mantém a própria bem discretinha até o primeiro mostrar a sua…
Vamos então aos mais votados.
1- Categoria hors concours : Praça da República e arredores, aos finais de semana e feriados. As razões ocuparam a pauta durante quatro horas. Todo mundo sabe que aquela “herança”é deprimente, degradante, fedorenta, perigosa, feia, brega, horrorosa. E que a gente séria que faz artesanato e outras coisa boas, não merece estar em tão má companhia. Nem nós.
2-Em S.Braz, a nave da Xuxa cedeu a supremacia ao Monumento ao Cocô Desconhecido. Alguém me disse, ou eu tive um pesadelo, não sei bem, que aquilo é uma homenagem (?) aos sobreviventes de Eldorado, ou aos sem teto, sem casa, alguma coisa por aí. Não, meu anjo, eu não estou faltando com o respeito. Quem fez isso foi quem colocou aquilo ali e ainda dedicou a obra a quem não pode vir aqui se defender.
3-O Colégio Moderno. Essa citação surpreendeu, afinal, foi o celeiro de gente bonita e , enfim, todo mundo sabe a história. Mas in loco, todos capitulamos. Foi tanta reforma, tanta obra estilo favelão, que, principalmente pela lateral da Gentil aquilo ficou parecendo um pombal, pintadinho, cheio de basculantes. Balancins, lembra, daqueles de cozinha e/ou banheiro. Pena e comoção no júri. Menção aprovada em nome dos velhos tempos.
4- O clube do Remo mais uma vez venceu o Papão, ops, O negra da Curuzu.(Isso ficou esquisito…) O estado da outrora bela sede da Nazaré e aquela muvuca da Almirante são uma vergonha, até para os mais amorosos atletas ou torcedores azulinos.
Te sossega aí, bicola, que as coisas lá pelo teu estádio também estão em clima de favela decadente. Tuna ta chegando perto, a boate está caidinha…
5- A Estátua da Liberdade: esse foi um ponto de discórdia. Que é cafona, todo mundo concorda, mas houve quem lembrasse que ela parece “anã” numa referência a nossa ancestral pouca altura. Ah, me erre, estátua cotó para parecer paraense é demais. Premiada com louvor.
6- Lajotinhas em geral. Esse item teve inúmeras menções, dada a facilidade de se criar monstrengos com aqueles quadradinhos coloridos. O primeiro lugar ficou dividido entre um edifício na Conselheiro e um prédio comercial na Primeiro de Dezembro. O primeiro, na categoria “Raio me parta” e o segundo “Ponto… Cruzes!”. Os demais, devido a impossibilidade de citá-los nessa página, sintam-se reconhecidos.
7-A Tamandaré. Houve a sugestão de mudar o nome para Tamandaralho. Apesar de justa , a sugestão poderia chocar quem ainda tem que morar num local que não sabe o que é beleza desde que foi criado por…acaso. E a Marinha poderia sentir-se ofendida, enfim.
8- Dispensando qualquer justificativa: as reportagens que aparecem na TV, justamente mostrando o pior da nossa terra.Argh.
9- Encerrando a lista dos dez – calma, explico: essa vale por dois – Ananindeua, não poderia ficar de fora, afinal, onde a corda vai…O Shopping e seu genérico, em frente, (que coisinha feia!) com aquele entorno caótico…São os dois classificados e que representam a chamada “grande Belém”.
Grande ?